quinta-feira, junho 10, 2004

ASSIM EU CHORO

Este testemunho que eu recebi hoje vai me proibir de dizer que o Orkut não serve pra nada. Sabe as cartas e bilhetes recebidos e enviados de e para amigos e namorados de tempos atrás do post anterior? Alguns muitos eram do meu amigão que escreveu o que segue:

Tá legal, eu tava me segurando para poupar a minha querida irmã/amiga "Cá" dessa cena de filme "B". Mas eu não consigo, perdão Cá, lá vai: outro dia, por conta da minha mania de chegar cedo aos lugares, fui ao cinema MUITO antes da sessão e comprei um pocket book pra passar o tempo. O livrinho (ótimo aliás) era Bartlebly, o escriturário. Qual não foi a minha surpresa ao abri-lo e ver ali, de cara, o nome da tradutora? Siiiiiimmm, ela mesma, a minha parceria de vários cinemas! Fiquei tão emocionado (juro) que quando cheguei em casa arranquei do outro livro para este um "marcador" que ganhei dela no meu aniversário em 95 (aposto que nem ela se lembra disso) e que (agora vem o melhor, preparem-se para as lágrimas) está escrito assim: "Amigos são aqueles que mesmo longe um do outro não se separam jamais." Pois é... é piegas, mas É VERDADE! Perdão minha querida amigona, mas é o meu jeito de dizer que eu também te adoro muito.

É ou não é de chorar? Te adoro muito, Giggio!

0 Falaram:

Postar um comentário

Link

Criar um link

<< Volta